terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Eu minha sou sua


"Eu triste sou calada
Eu brava sou estúpida
Eu lúcida sou chata
Eu gata sou esperta
Eu cega sou vidente
Eu carente sou insana
Eu malandra sou fresca
Eu seca sou vazia
Eu fria sou distante
Eu quente sou oleosa
Eu prosa sou tantas
Eu santa sou gelada
Eu salgada sou crua
Eu pura sou tentada
Eu sentada sou alta
Eu jovem sou donzela
Eu bela sou fútil
Eu útil sou boa
Eu à toa sou tua".

Martha Medeiros

Sopro


Achei linda a imagem, remete poesia. Sutil.


"Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas...
eu continuarei a escrever" - Clarice Lispector.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Patriotismo idiota...



Estou revoltada com tanta ignorância.

Vestir uma camisa para manifestar a falta de educação ninguém veste.

Essas buzinas caóticas por toda a cidade, refletindo o que focalizam ser o mais importante... Durante esses dias de futebol, todos vão esquecer das taxas tributárias que continuam subindo, das crianças que adormecem nas calçadas frias, todos vão esquecer das calamidades públicas, da fome. Nossa como a bandeira brilha não é? Futebol, carnaval... que cultura é essa que cultivamos? Não desmereço a prática de esportes, muito pelo contrário, mas o mundo parar por causa de um jogo de futebol... Quando os estudantes, os trabalhadores vão as ruas para manifestar alguma injustiça ou reforçar ideais, a polícia vem, o restante do povo os acusa de arruaceiros... e eu tenho que aturar essas cornetas caóticas no meu ouvido o dia todo, cadê o respeito?

Trabalhadores que acordam cedo, trabalham oito horas por dia... e sem pensar, se matam pelos "fenômenos" que correr chutando uma bola e ganham milhões... enquanto isso o país continua com essa educação precária e uma ridícula má distribuição de renda. Aplausos para o império! Eles sempre vão ter o poder sobre as massas.

Nós os elevamos, não é? Esquecemos.

Perguntas.... Quantos param para desejar um bom dia?

Quantos ajudam um cego nas ruas?

Quantos olham nos olhos? Quantos cuidam de outro? Simplesmente abraçam?

Então por que tanta "comoção", movimentação... por um jogo de futebol?

O que traz para você?

Ao menos vamos nos questionar um pouco mais sobre o mundo que temos diante dos olhos... o mundo que criamos.

**

Isa.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Imaginary...



Ando viajando por aí

sem sair desse espaço

sem fugir dessa música.

Imagino você de uma forma doce

e isso tem sido frequente,

suave e simples

Como o sorriso que transborda em sua face.

Isso me acelera, me arrepia... mas tudo continua estático

apenas sinto tudo se movimentar dentro de mim

como imagens que tremem...

Se aproximam, me invadem...

***

Isa

***

(ouvindo Kings of Leon - Use Somebody)

domingo, 16 de maio de 2010

Dance!


Dance
Dance sobre a noite
Dance perante abismos... dance.
Dance e sinta a chuva suave
Dance sobre a areia que rola
Dance sobre o asfalto quente
Dance sob o céu que amanhece...
Sobre a noite que invade
Dance!
Dance a música que a vida soa
Sinta a música que a vida dança

Dance... !

***

Isa

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Carpe Diem...


"Quando a gente está em frente ao mar, a gente se sente melhor"



( a letra A - Nando Reis - ecoando )


***


Avalanche, o dia corre, se movimenta
Sincronia de folhas e música
dançando, envolvendo o ar.
Muitas energias nos incidem
Tudo emana, de dentro para fora
Tudo vem... de fora para dentro
Olhar o céu é preciso, respirar
refugiar-se
Acreditar, sonhar, lutar, viver, conquistar... cada segunto
Fazer valer à pena.


***
Isa

sábado, 1 de maio de 2010

...sobre o que sinto


Eu subi as escadas no escuro

as lágrimas querendo me invadir

Tive uma vontade imensa de te ter ainda mais perto

Sentir você

Você em minha frente

e eu sem reação

Que saudade que ja sinto

Aquece meu coração

Vou ler nossos livros

vou fechar os olhos

mergulhar no escuro

Ter você.
...
Isa

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Monólogo...

"Havia uma multidão que existia pelo vazio de sua ausência absoluta".

Clarice Lispector - trecho de Onde Estivestes de Noite (conto: A procura de uma dignidade).

***

Como se tudo fosse vago,
as vezes sentimos...
Um vazio preenchendo
Uma ausência incalculada
dor, cansaço... também alegrias
O sol retorna, aquece
A noite traz paz... junto de uma mistura precisa de sensações
Saudade pode estar entre elas
Saudade também do que ainda não senti de forma palpável
saudade de mim, quando me vejo em fuga
tempos em que me dispersam coisas que não deveriam importar.
Na maioria das horas estou aqui, em mim, desvendando meu próprio avesso
construindo e desmoronando... ressurgindo... dançando frente a abismos
muitos que criamos... muitos encontrados no caminhar ardente que é viver
Amo cada respirar que sinto, e sinto ainda mais sede ...
A vida me instiga
escrever me liberta
... o tempo me devora
Não posso esperar
Anseio loucamente!

*.*
isa
video
video
video

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Clarice... doce Clarice!



"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca." - Clarice Lispector.

***

Clarice Lispector, nascida Haia Lispector (Chechelnyk, Ucrânia, 10 de dezembro de 1920Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) - escritora brasileira.

Eu e o vento...


A noite entra,
me tem ao avesso.
Mergulha.
Insano, canto, delírios ao vento
Descubro, incubro
Fantasias em silêncio
O que ser agora
Depois o que deixa de ser
Somos lâminas e corte
Somos tempo e momentos.
As cores mudam no céu, vê a lua hoje?
Ela me toca
eu a toco.
O ar noturno é inebriante...
O inverno soprando ventanias
Contrariando sentimentos.



***

Isa.



terça-feira, 27 de abril de 2010

"Um beijo Roubado"


E aquele beijo que trocavam
com tanta intensidade
Apaixonado.
Há um coração pulsando no canto do quarto
O escuro rondando o sonhar acordado
O perfume sobre a pele, incendiando o pensar
devaneios, desejos
Cabelos soltos, negros
Respirar cálido, calmo
Suspiro, leve
pescoço.
Afasta as tiras que prendem
ombros nus
próximo aos lábios
trêmulos.
Toque suave
pele brilhante
desvendar.
Amor que se expande
pelo mundo, em movimento
Descubro e tenho por entre segundos
Aqui dentro
e lanço....
Através, em palavras ao relento.
Isa.
(imagem do filme: Um Beijo Roubado)

..."de mim"


"Meu coração é uma planta carnívora
Morta de fome."
- Caio Fernando Abreu.

domingo, 25 de abril de 2010

"Te olho nos olhos..."

"Te olho nos olhos
e você reclama que te olho muito profundamente
desculpa,
tudo o que vivi foi profundamente.
Eu te ensinei quem sou,
e você foi me tirando os espaços entre os abraços,
guarda-me apenas uma fresta.
Eu que sempre fui livre
não importava o que os outros dissessem
Até onde posso ir para te resgatar?
Reclamas de mim como se eu tivesse condições
de me inventar de novo.
Desculpa se te olho profundamente,
rente a pele,
a ponto de ver seus ancestrais em seus traços,
a ponto de ver a estrada muito antes dos seus passos.
Eu não vou separar minhas vitórias dos meus fracasso
Eu não vou renunciar a mim
nenhuma parte
nenhum pedaço
do meu ser
Vibrante,
errante
sujo
livre,
quente
Eu quero estar viva
e permanecer te olhando
profundamente."

***
Lindo.

***


texto de Fabrício Carpinejar com Bóris Pasternak
Adaptado por Ana Carolina, em Dois Quartos.
video
video
video

...ouvindo Yellow - Cold Play


"Olhe as estrelas
Veja como elas brilham para você
E para tudo que você faz
Sim, e elas eram todas amarelas" Compositor: Guy Berryman

"You are the only exception..."

Pensei sim, em sair pela chuva
Não tenho você comigo.
A voz doce me rodeando, os olhos tão intensos
Ficaram no tempo que me foge das mãos.
Esse silêncio inquieto me intriga
Imagens, rabiscos e poesia...
Tudo soa tão estático sem você.

Isa

sábado, 24 de abril de 2010

Escuro...


Está tudo escuro aqui
Ouço o barulho da chuva sobre as canções - Kings of Convenience
Voz quente sobre o ar gelado que sinto me envolver
vejo a chuva deslizar pelas calçadas... meus olhos a seguem como se fossem partir
Mais volume a canção, ela transborda tudo agora
Como o que derrama em mim
Somente uma fresta de luz
Vontade de lançar-me nesse escuro até você chegar
É como se eu tivesse sempre aguardando... em cada segundo suspiro uma esperança
e as horas passam... o sono demora
Fujo de tudo
Meu pensar flutua junto ao seu que me é tão distante.


Isa.


"E mesmo ausente é doce sua falta" _ Nando

***

Winning a Battle, Losing the War - King Of Convenience


Vencendo Uma Batalha, Perdendo a Guerra


Even though I'll never need her,
Mesmo que eu nunca precise dela,
even though she's only giving me pain,
Mesmo que ela só esteja me causando dor,
I'll be on my knees to feed her,
Eu ficarei de joelhos para alimentá-la
spend a day to make her smile again.
Perderei um dia para fazê-la sorrir novamente
Even though I'll never need her,
Mesmo que eu nunca precise dela,
even though she's only giving me pain.
Mesmo que ela só esteja me causando dor,
As the world is soft around her,
O mundo é suave em volta dela,
leaving me with nothing to disdain.
Deixando-me com nada para desdenhar
Even though I'm not her minder,
Mesmo que eu não seja o protetor dela,
even though she doesn't want me around,
Mesmo que ela não me queira por perto,
I am on my feet to find her,
Eu estou de pé para encontrá-la,
to make sure that she is safe and sound.
Pra ter certeza de que ela está segura
Even though I'm not her minder,
Mesmo que eu não seja o protetor dela,
even though she doesn't want me around,
Mesmo que ela não me queira por perto,
I am on my feet to find her,
Eu estou de pé para encontrá-la,
to make sure that she is safe from harm.
Pra ter certeza de que ela está segura
The sun sets on the war,
O sol se põe na guerra,
the day breaks and everything is new...
O dia nasce e tudo é novo...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bem, eu amo... rsrs


É mesmo desse jeito... sem jeito... Desafinado como alguém que grita no chuveiro eu toco para mim... risos.

Podem zuar, eu gosto mesmo assim desses momentos que me elevam, me tiram desse mundo.

Beeijo.

Isa.
video
video
video
video
video
video

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Denso...


Corpo cansado
Olhos perdidos na noite
Você se sente preso, por não poder fazer nada
Distante, sentindo todas as luzes piscarem sobre você... mas vejo tudo escuro.
Música alta refletindo nos espelhos, os cabelos esvoaçantes por entre o vapor
Todos aqueles sorrisos, passos acelerados
Não há como fugir, pois você está ali
Na retina dos olhos... no comprimir dos meus lábios.

Isa




"A únicα viαgem reαl de descobertα, não consiste em ver novαs pαisαgens, mαs em enxergαr com novos OLHOS.."--- Marcel Proust

terça-feira, 20 de abril de 2010

Pictures of You...


Fico a olhar suas fotos... como se o tempo não passasse
O relógio quebrado como soa na canção
Os filmes passando diante dos olhos
a vida acontecendo...
As folhas estão rodopiando com o vento lá fora
O céu se cobre para noite... se fecha para a chuva que ameaça insinuante... como um toque seu
Queria fazer canções e sonhos acontecerem como nos filmes...
Aquele lago que desejo tocar se tornar real
O sorriso seu inundando a varanda como o sol
As palavras nunca entregues, com você
Dois amantes na chuva
Dançando na estrada vazia, dentro da noite... onde nada mais importa.


Isa.

(ouvindo Broken, Lifehouse)

segunda-feira, 19 de abril de 2010



"Ambivalentes como nós, palavras preparam armadilhas ou abrem portas de sedução. Embalam ou derrubam, enredam em doces laços, ou nos matam dolorosamente - como punhais."

Fragmento de Pensar é Transgredir.

Lya Luft - nasceu no dia 15 de setembro de 1938, em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul.

domingo, 18 de abril de 2010

A espera...


É você... brilhando?
Eu pergunto para o céu que venta
É o vento uivando... como se fosse um chamado seu
eu me declaro em silêncio inquieto
eu me derramo de corpo e peito aberto
eu sinto, eu vibro
Solto aquele sorriso que se contia para o espelho
Lanço o olhar a te procurar no escuro
Dentro de mim encontrei um lugar que é só seu
Me reinvento todos os dias
Para o sol que nasce e a Lua que anoitece
Espero e procuro você nas esquinas
como imagem tênue você esvanesce...
Me lembro de você... em todo o tempo
Quero sentir seu coração
Te observar quieta
um anjo pálido em seu silêncio
Quero ser a cura do mal.



* - *


Isa.


"Não houve nada no mundo
Que eu tenha desejado mais
Do que sentir você no fundo do meu coração"


The Cure - Pictures of You



Contexto...


Quero algo despreendido. O que importa é o agora, este momento... esse ar que estou respirando
Amadureci com meus erros, experiências, mas não quero continuar a conviver como se tudo ainda fosse presente.
Não quero ficar a mercê de todos os erros que cometi
Os acontecimentos marcam, nos trazem algo bom também, mas estão no passado impulsivo que me existiu.
Arrisco-me ao sol que nasce
Todos os dias com um brilho diferente sempre mais intenso.
Lanço-me a descobrir cada vez mais desse ser inconstante que sou
Não quero promessas, quero alguém presente no agora.
E aquele amanhã que não há... será um novo instante em que quero desejar você de novo.
Isa...
***"
Eu escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens..." Rimbaud

quinta-feira, 15 de abril de 2010

"Nesse momento cai... uma forte chuva"...


Olho a chuva tocar o vidro

minha imagem refletida... mas só vejo você.

Não sei o que acontece... deixo-me perder para encontrar.

Deixo-me guiar pelo sentir... pelos sentidos.

O que eu quero está em mim... na pele... no pulsar... nos ossos, vibrando com o ar que respiro.


E quem entende...


-Isa.


"Por pensar de mais... eu resolvi não pensar de mais... Dessa Vez" (Nando Reis)

Diálogo, paredes claras.

Acontece. Fazemos acontecer. Somos bombardeados por instantes, situações, fatos.
Escolhemos, e quando o fazemos de forma impulsiva, as consequências podem não vir a ser as melhores.
Quando temos o que sempre almejamos... nem sempre estamos preparados para vivenciar o que nos é entregue.
O tempo passa, de forma congelante. Novas vivencias, aprendizados, amadurecimento, visão interior, uma nova lente para ver o mundo.
Um novo emergir em meu mundo.
E o que posso pedir a você? Que ja me fez tanto bem... e naquele momento obscuro, só fiz o mal.
Sinto algo acontecendo dentro de mim.
Me pergunto o que você sente agora?
Sinto um arrepio quando penso em você, sinto algo quente arder em meu peito.
"Para tudo há seu tempo", dizem... Percebo que sim.
Será que terei um tempo seu, agora... para mim?
...Será que é tarde?
...Não para mim.

-/- Isa -/-

"Longe de você meu bem..."
(Mais uma Vez_Marisa Monte)... ecoando.

"Eu era algo importante"...


“…e essa falta cresce à cada dia, de forma avassaladora…quando enfim penso que estou me acostumando, que estou te esquecendo, você ressurge de forma inesperada ocupando todos os espaços, transbordando de dentro de mim... e é nessa inconstante loucura que vivo sem te ter.”

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sobre pensamentos...


Eu tenho sonhado com você
É como um desejo que dorme inquieto
Sua pele clara
Seus cabelos cobertos pelo sereno da noite
Seus lábios tão perfeitos em seu vermelho saboroso
Vontade de devorá-los
Tão suave e intrigante
Diz tanto em seu silêncio...
Guarda versos nesses olhos negros
Uma noite apenas
me deixe ter novamente seus lábios
Deixe que eu toque com a minha sede sua pele que brilha
Seus cabelos estão mais longos... assim como a noite
Imagino-os deslizando-os por entre meus dedos.
Não sei o que é certo ou o que é melhor...
Não sei o que pode se definir
Somente sinto minhas pálpebras se recostarem sob o céu estrelado...
visualizando você...
Suave...
Única...
Inalcansável.
Isa.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Eu, e o inverno que se aproxima...



O Céu é tão bonito

Olha o entardecer de um outono perfumado

Dance com as nuvens

Pincele o céu de lilás

áquele tom suave de pálpebras sem adormecer.

Risque as paredes

como os passos marcam o chão

Esse tempo que é meu, ninguém me tira

Livros e palavras

Poemas no banco, a beira-mar

Filmes refletindo o suspirar

O avesso de mim

O não calar.

Isa.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Poemas, grãos e o céu da tarde.



O cheiro da pele

O vento

A brisa gelada

No vidro.

Vapor do café

Pó e Sabor.

Nos lábios,

Contexto

Palavras

Poemas

Um iniciar vibrante

Um suspenso reticências

A falar e calar

Como o beijo no sonho...

Sonhando, pensando

Buscando encontrar

O que em mim há...

Sede insaciável de amar.

O amor, ao poema entrego

Para que nele sobreviva... eterno

E ultrapassar o além do pensar

...pensar, por momentos, (des)humano, egoísta

Que só sabe falar

Juras de amor....

Sem amar.

Isa.

domingo, 4 de abril de 2010

"Aonde está você agora, além de aqui...dentro de mim."


O vento me traz você
A noite chega em meus olhos
Torturando as sensações físicas do meu pensar
Devaneios
Sinto sua pele presente
Ardente, quente...
Deslizo no imaginário... sobre as curvas nuas do seu corpo febril
Não sei como ultrapassar... se devo esconder ou permitir
Anseio sentir você, aqui... em mim.
Abro os olhos, na luz ou no escurecer noturno... tenho você.
Isso vai mudar? Isso vai parar?
Nada me importa... o que sinto importa.
O que sinto agora, vibrando em minhas veias...
Me beije pela noite
Tenha meus lábios nos seus
como o veludo das rosas, deixa eu tocar seus lábios com os meus;
Deixe o perfume dos seus cabelos me embriagar;
Deixe seu olhar invadir o meu.
Estilhaço o relógio ao chão, sem tempo para medir, o espaço entre nós já dilacera
O amor vai me dilacerar de novo?
Não tenho medo...
De súbito, amo sentir você.


***

Isa.

O silêncio se faz canção agora.


terça-feira, 30 de março de 2010

Alone... (music: offer Nissim feat Maya)


Posso ficar aqui contempando a lua por infinitas horas
As nuvens se movimentam a sua volta como uma espécie de mágica...
Uma luz dourada se misturando com seu prateado... inebriante
Estática, absorvo... não há palavras que possam descrever as sensações dos sentidos... ou o que guardo nos olhos... Seria incrível poder transportar tudo... mas cada visão é única...
Sinta... intenso e preciso
Me sinto inquieta a sua espera
As horas passam por mim
A noite me atormenta com imagens...
Tudo parece fora do real... essas sensações...
Se perder para encontrar...
Perguntas me vem... me levam... como se respostas não importassem
Apenas o desejo íntimo...
...e presente de querer você.
***
Isa.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Come Cover Me - NigthWish (tradução)


Venha Me Cobrir


Venha molhar os olhos de uma viúva
a noite com o seu amor,
Secar a chuva do meu rosto molhado,
Beber o vinho, o doce e vermelho gosto de mim...
Venha me cobrir com você
Pela emoção até que você me leve pra dentro,
Venha me confortar em você,
Amor jovem deve viver o dobro apenas para nós..


Para mim,


Para você,


O tempo devora a beleza de uma paixão,

Comigo,


Com você,

Em guerra por amor à você,
(Esta noite qualquer sonho vai se realizar)
Não um mundo, mas a sua bela graça,
Sedução no mundo do sonâmbulo,
Novembro vestido de Maio em seu rosto,
Segurando-nos agora a mão do semeador de amor...


Venha me cobrir...


**

Amo essa canção...

sexta-feira, 26 de março de 2010

Em tons negros...





A lua insinua-se para a chuva suave

Imagino seus cabelos... negros e densos misturados a noite

O vento carrega as folhas

É como se levasse um pouco de mim...

A cada movimento do céu... um novo respirar se abre

Por vezes uma neblina cinza se instala... como nas montanhas distantes... pousa em mim

Como um cobertor a envolver...

O vento das manhãs... aquele que vem dos contornos do mar... a sopra para longe

Deixando que uma linha púrpura e tênue... como um olhar que ainda não tocou meus olhos... possa se aproximar

A chuva se intensifica nas luzes ...

Deixo a noite me silenciar agora.

Isa.


quarta-feira, 24 de março de 2010

O inverno repousa em mim...


O vento soa forte, empurrando as nuvens como se fosse arrancá-las da noite...
A canção soa doce e sedutora... envolvendo cada célula de meu corpo
A noite me tem
Sinto o inverno chegando, sente esse ar doce?
Dos poemas lançados na palidez do papel
Dos desejos vivenciados no obscuro insano, no limiar dos pensamentos
O toque na pele... as listras das pontas dos dedos sentindo com todo seu calor
Podemos sentir frio... caminhar cabisbaixos pelas ruas...
Mas o céu está lá ... a noite como uma chama íntima nos aquece, envolve... incita
Nos fechamos... refletimos, relembramos... mas antes de tudo... sentimos.
No sonho posso ter? Figuras do imaginário... aquela pintura surreal que nós mesmos pincelamos... com o delinear dos desejos mais insaciáveis.
Os ponteiros... aquele som perturbador das horas passando
Da inércia... Por isso não durma...
Ficaremos acordados essa noite
Vejo seus olhos na escuridão que me chama
As mãos frias a me dominar
Com uma face de anjo... me confundes na sua escuridão
Aquele jardim esquecido que me deixas vislumbrar... breve e distante, está em você?
Posso senti-lo solitário em mim como tudo o que ficou...
Marcas... Como páginas de livros que guardam pétalas secas... pétalas onde repousaram promessas de amor... Aquelas tidas apenas nos cenários Shakesperiano... ou no mundo criado por sonhadores como eu em seus momentos inquietos sobre a existência humana.
Liberte-se, solte-se menina...
Sorriso tímido de mulher,
Que dança escondida de todos... pelos muros mais inalcansáveis... Muros em que seus dragões alçam vôo... onde seus demônios são libertos...
Lábios de vinho tinto... a beijar a noite como seda.
Durma sobre as palavras...
Leva para lápide tudo o que sente.
***

Isa

***


Apocalyptica e vinho tinto.


***
Foto by Marcela

terça-feira, 16 de março de 2010

Perfume...

" Na altura em que a casa de Giuseppe Baldini se afundou, Grenouille ia a caminho de Orleães. Deixara para trás a atmosfera de vapores que pairava sobre a grande cidade e, a cada passo que mais o afastava dela, o ar que o rodeava tornava-se mais claro, mais puro e mais lavado. Como que se diluía. A cada metro percorrido, deixara de existir aquela perseguição de centenas, de milhares de odores diferentes, que mudavam a uma velocidade louca; os poucos odores existentes - o odor da estrada arenosa, dos prados, da terra, das plantas, da água - pairavam, contrariamente, em longas fitas sobre a paisagem, aumentando devagar e diminuindo ao mesmo ritmo, praticamente sem uma interrupção brusca.Para Grenouille essa simplicidade assumia foros de libertação. Aqueles odores calmos provocavam-lhe uma sensação agradável nas narinas. Pela primeira ve na sua vida, não se via obrigado a cheirar, a cada fôlego, algo de novo, de inesperado de hostil, ou de perder qualquer coisa agradável. Pela primeira ve era-lhe dada a oportunidade de respirar quase à vontade sem ter, incessantemente e ao mesmo tempo, o olfacto atento. Dizemos «quase» porque, como é óbvio, nada passava pelo nariz de Grenouille de uma forma verdadeiramente livre. Mesmo quando não existia o mínimo motivo para tal, havia sempre nele uma certa reserva instintiva ligada a tudo o que lhe chegava do exterior e pretendia entrar no seu íntimo. Ao longo da sua vida, mesmos nos raros momentos em que conhecera reminiscências de satisfação, de contentamento..."

Fragmento de Perfume, do autor alemão : PATRICK SÜSKIND, livro publicado em 1985, o qual deu origem ao filme.

Perfume... A história de um assassino.



O vento traz meus cabelos aos olhos

Apenas uma fresta dos meus olhos negros mergulham na noite

...os cabelos cobrindo a face, bagunçados... sinto seu perfume.

...Ouço aquelas canções

Canções que marcaram um tempo gelado e distante... o tempo da menina que não se sentia exausta em se perder...

... Ao mesmo momento um tempo que foi cálido... por permitir que sua mente se elevasse a devanear tórrida e enlouquecidamente

Dilacerava-me como o despedaçar sensual das pétalas de uma rosa vermelha atirada ao vento...

E mesmo assim persistia...

Anseava...

Sentia uma sede insaciável de ter o fervor de seu sangue próximo de mim.

Noites sombrias... me prostrava sobre as palavras que me traziam o vapor

O vapor fino de lembranças que não existem

Criação doentia... dançava em minha mente como o fantasma da ópera.

Com seu vermelho me aprisionastes naquele tempo

Um manto a envolver

A desvendar a sede, a fome o desejo ardente de mais e mais... de mim.

Escrevo impulsivamente o que me incide

Inconsequente com a razão

Dando vôo ao sentir, sentido ao que não existe.

Passado, presente... tempo... quem pode ou o que pode definir?

Sentir, o pulso... pulsar...

Essa sou eu, perdida nas linhas do tempo remoto... a garota que sempre se calava...

A garota que sempre escreve sem se preocupar com repercurções e reflexos

Leve a sério somente nesse segundo de leitura... sinto de maneira tão inconstante...

Palavras o que pode significar para cada um?

Deixo os sentidos me guiarem...

E nesse breve momento... voltei as noites de céu sombrio... nuvens escuras

As noites tristes que também amo.

Isa.

***

obs: o texto não tem ligação com o filme... apenas são divagações minhas.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Love Well Tear us Apart... (Joy D.)


Uma fina faixa dourada do sol atravessa cortando as nuvens que bronzeiam o céu
A paisagem cinza, silenciosa, inerte... é tão fraca em movimentar-se quando estou próxima apenas de sua ausência.
A ausência ardente que sinto de sua pele alva
A ausência mórbida... que sinto de ter os lábios seus.
O frio me invade, aquele frio doce e puro que traz o inverno
mesmo estando quente ele não resiste ao inverno que se faz em mim.
Saudade da intensidade do verde de seus olhos nos meus.
Das suas mãos nas minhas... entregues na noite.
Do seu perfume inebriando meu ar.
Do seu sorriso como luz única.
O tempo dilacera meu coração em saudade...


Isa.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Cold Nigth...


Deixei o vento gélido da noite tocar cortantemente minha face
Passos ágeis sob o asfalto cinza
Os faróis refletindo lembranças
A lua, única em seu traje prateado
...É a tela dos sonhos, inspiração a seguir
As estrelas aproximam meu pensar
infiltrando-se nas linhas vísiveis da distância, fazendo com que eu a sinta...
Noite invernal
Meu corpo trêmulo de uma saudade febril.
Sinto frio, um frio particular.
Mudo os ângulos do olhar
...nas ruas cinzas, no céu estrelado, no horizonte
Busco um só movimento
O seu movimento em minha direção
mesmo estático, na silenciosa distância, eu a tenho em mim.

***
Isa.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Saudades... o foco é o coração.

Sinto sua falta...do seu sorriso, da sua voz
...do seu jeito doce que me invade cheio de intensidade
...do seu beijo que me prende
...do seu perfume que filtra o ar que respiro
...saudade de você... de você... de você.

Isa

***

Palavras breves para o muito que sinto...

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Algo dentro de você (Something Inside)



Me sinto assim perdida

Como se estivesse flutuando no ar que me envolve

Meu respirar fica suspenso quando deixo meus pensamentos estáticos em você

Tudo se movimenta e meus olhos se perdem nas lembranças que aquecem minha mente que dança... Dança lépida nas imagens, desejando ultrapassar a distância. Como o feixe de luz que emana da lua e atravessa o mar calmo das noites

...Calmo como o meu coração quando está com você, calma e sorrindo você me deixa mesmo ausente de pele, por que és presença contida no amanhecer que se faz todos os dias e me retorna trazendo o doce toque quente do sol sob minha face

E caminho, mesmo por direções premeditadas, como se em qualquer esquina fosse alcançar seus olhos, esse olhar que me fita e prende, me deixando imersa a devanear... Soltos são os sentimentos, me vem de forma delirante

Me inclino sobre o papel de maneira acelerada, como a desesperada vontade de lançar essas palavras aos ouvidos seus.

As palavras aqui me transportam a você, como tudo o que encontro de mais doce e suave em cálido repouso... como as flores desprendidas das árvores, que agora adormecem nas calçadas cobertas pelo úmido sereno da noite

Tão doce as gotas sobre as pétalas das flores

Como a maciez ardente dos seus lábios

Como o balanço suave dos seus cabelos em frente aos olhos...

Que me faz querer olhar-te em incessante momento.

Momentos que tenho e guardo em mim

Em meu silêncio inquieto e profundo

Em meu ser amante e confuso

Que se perde e se encontra em ti.

*.*

Isabela.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

"Pensador"


"Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo quando deveria verbalizar,
digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar,
faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é covarde mas atento,
meio fajuto meio autêntico, sumi porque sumir é um jogo de paciência,
ausentar-se é risco e sapiência, pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua desajeitada e irrefletida permanência."




Martha Medeiros


domingo, 31 de janeiro de 2010

Palpável ao sonho...


Os lábios ásperos, ácidos, respiram ofegantes...
Àquele doce sabor perdura em seus dedos quentes
Suspendendo as paredes que a cercavam
...O tecido negro se mistura à sua pele suave... envolvida no sussurrar que emana seu cálido pensar. Ela flutua
Flutua doce menina
Traz para si seus anseios
Eleva-te ao impossível
Transborda-me
Faz do impossível - concreto
Torna-te palpável a mim.
***
Devaneios, disformes em formas...
Isa.