quinta-feira, 29 de abril de 2010

Monólogo...

"Havia uma multidão que existia pelo vazio de sua ausência absoluta".

Clarice Lispector - trecho de Onde Estivestes de Noite (conto: A procura de uma dignidade).

***

Como se tudo fosse vago,
as vezes sentimos...
Um vazio preenchendo
Uma ausência incalculada
dor, cansaço... também alegrias
O sol retorna, aquece
A noite traz paz... junto de uma mistura precisa de sensações
Saudade pode estar entre elas
Saudade também do que ainda não senti de forma palpável
saudade de mim, quando me vejo em fuga
tempos em que me dispersam coisas que não deveriam importar.
Na maioria das horas estou aqui, em mim, desvendando meu próprio avesso
construindo e desmoronando... ressurgindo... dançando frente a abismos
muitos que criamos... muitos encontrados no caminhar ardente que é viver
Amo cada respirar que sinto, e sinto ainda mais sede ...
A vida me instiga
escrever me liberta
... o tempo me devora
Não posso esperar
Anseio loucamente!

*.*
isa
video
video
video

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Clarice... doce Clarice!



"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca." - Clarice Lispector.

***

Clarice Lispector, nascida Haia Lispector (Chechelnyk, Ucrânia, 10 de dezembro de 1920Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977) - escritora brasileira.

Eu e o vento...


A noite entra,
me tem ao avesso.
Mergulha.
Insano, canto, delírios ao vento
Descubro, incubro
Fantasias em silêncio
O que ser agora
Depois o que deixa de ser
Somos lâminas e corte
Somos tempo e momentos.
As cores mudam no céu, vê a lua hoje?
Ela me toca
eu a toco.
O ar noturno é inebriante...
O inverno soprando ventanias
Contrariando sentimentos.



***

Isa.



terça-feira, 27 de abril de 2010

"Um beijo Roubado"


E aquele beijo que trocavam
com tanta intensidade
Apaixonado.
Há um coração pulsando no canto do quarto
O escuro rondando o sonhar acordado
O perfume sobre a pele, incendiando o pensar
devaneios, desejos
Cabelos soltos, negros
Respirar cálido, calmo
Suspiro, leve
pescoço.
Afasta as tiras que prendem
ombros nus
próximo aos lábios
trêmulos.
Toque suave
pele brilhante
desvendar.
Amor que se expande
pelo mundo, em movimento
Descubro e tenho por entre segundos
Aqui dentro
e lanço....
Através, em palavras ao relento.
Isa.
(imagem do filme: Um Beijo Roubado)

..."de mim"


"Meu coração é uma planta carnívora
Morta de fome."
- Caio Fernando Abreu.

domingo, 25 de abril de 2010

"Te olho nos olhos..."

"Te olho nos olhos
e você reclama que te olho muito profundamente
desculpa,
tudo o que vivi foi profundamente.
Eu te ensinei quem sou,
e você foi me tirando os espaços entre os abraços,
guarda-me apenas uma fresta.
Eu que sempre fui livre
não importava o que os outros dissessem
Até onde posso ir para te resgatar?
Reclamas de mim como se eu tivesse condições
de me inventar de novo.
Desculpa se te olho profundamente,
rente a pele,
a ponto de ver seus ancestrais em seus traços,
a ponto de ver a estrada muito antes dos seus passos.
Eu não vou separar minhas vitórias dos meus fracasso
Eu não vou renunciar a mim
nenhuma parte
nenhum pedaço
do meu ser
Vibrante,
errante
sujo
livre,
quente
Eu quero estar viva
e permanecer te olhando
profundamente."

***
Lindo.

***


texto de Fabrício Carpinejar com Bóris Pasternak
Adaptado por Ana Carolina, em Dois Quartos.
video
video
video

...ouvindo Yellow - Cold Play


"Olhe as estrelas
Veja como elas brilham para você
E para tudo que você faz
Sim, e elas eram todas amarelas" Compositor: Guy Berryman

"You are the only exception..."

Pensei sim, em sair pela chuva
Não tenho você comigo.
A voz doce me rodeando, os olhos tão intensos
Ficaram no tempo que me foge das mãos.
Esse silêncio inquieto me intriga
Imagens, rabiscos e poesia...
Tudo soa tão estático sem você.

Isa

sábado, 24 de abril de 2010

Escuro...


Está tudo escuro aqui
Ouço o barulho da chuva sobre as canções - Kings of Convenience
Voz quente sobre o ar gelado que sinto me envolver
vejo a chuva deslizar pelas calçadas... meus olhos a seguem como se fossem partir
Mais volume a canção, ela transborda tudo agora
Como o que derrama em mim
Somente uma fresta de luz
Vontade de lançar-me nesse escuro até você chegar
É como se eu tivesse sempre aguardando... em cada segundo suspiro uma esperança
e as horas passam... o sono demora
Fujo de tudo
Meu pensar flutua junto ao seu que me é tão distante.


Isa.


"E mesmo ausente é doce sua falta" _ Nando

***

Winning a Battle, Losing the War - King Of Convenience


Vencendo Uma Batalha, Perdendo a Guerra


Even though I'll never need her,
Mesmo que eu nunca precise dela,
even though she's only giving me pain,
Mesmo que ela só esteja me causando dor,
I'll be on my knees to feed her,
Eu ficarei de joelhos para alimentá-la
spend a day to make her smile again.
Perderei um dia para fazê-la sorrir novamente
Even though I'll never need her,
Mesmo que eu nunca precise dela,
even though she's only giving me pain.
Mesmo que ela só esteja me causando dor,
As the world is soft around her,
O mundo é suave em volta dela,
leaving me with nothing to disdain.
Deixando-me com nada para desdenhar
Even though I'm not her minder,
Mesmo que eu não seja o protetor dela,
even though she doesn't want me around,
Mesmo que ela não me queira por perto,
I am on my feet to find her,
Eu estou de pé para encontrá-la,
to make sure that she is safe and sound.
Pra ter certeza de que ela está segura
Even though I'm not her minder,
Mesmo que eu não seja o protetor dela,
even though she doesn't want me around,
Mesmo que ela não me queira por perto,
I am on my feet to find her,
Eu estou de pé para encontrá-la,
to make sure that she is safe from harm.
Pra ter certeza de que ela está segura
The sun sets on the war,
O sol se põe na guerra,
the day breaks and everything is new...
O dia nasce e tudo é novo...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Bem, eu amo... rsrs


É mesmo desse jeito... sem jeito... Desafinado como alguém que grita no chuveiro eu toco para mim... risos.

Podem zuar, eu gosto mesmo assim desses momentos que me elevam, me tiram desse mundo.

Beeijo.

Isa.
video
video
video
video
video
video

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Denso...


Corpo cansado
Olhos perdidos na noite
Você se sente preso, por não poder fazer nada
Distante, sentindo todas as luzes piscarem sobre você... mas vejo tudo escuro.
Música alta refletindo nos espelhos, os cabelos esvoaçantes por entre o vapor
Todos aqueles sorrisos, passos acelerados
Não há como fugir, pois você está ali
Na retina dos olhos... no comprimir dos meus lábios.

Isa




"A únicα viαgem reαl de descobertα, não consiste em ver novαs pαisαgens, mαs em enxergαr com novos OLHOS.."--- Marcel Proust

terça-feira, 20 de abril de 2010

Pictures of You...


Fico a olhar suas fotos... como se o tempo não passasse
O relógio quebrado como soa na canção
Os filmes passando diante dos olhos
a vida acontecendo...
As folhas estão rodopiando com o vento lá fora
O céu se cobre para noite... se fecha para a chuva que ameaça insinuante... como um toque seu
Queria fazer canções e sonhos acontecerem como nos filmes...
Aquele lago que desejo tocar se tornar real
O sorriso seu inundando a varanda como o sol
As palavras nunca entregues, com você
Dois amantes na chuva
Dançando na estrada vazia, dentro da noite... onde nada mais importa.


Isa.

(ouvindo Broken, Lifehouse)

segunda-feira, 19 de abril de 2010



"Ambivalentes como nós, palavras preparam armadilhas ou abrem portas de sedução. Embalam ou derrubam, enredam em doces laços, ou nos matam dolorosamente - como punhais."

Fragmento de Pensar é Transgredir.

Lya Luft - nasceu no dia 15 de setembro de 1938, em Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul.

domingo, 18 de abril de 2010

A espera...


É você... brilhando?
Eu pergunto para o céu que venta
É o vento uivando... como se fosse um chamado seu
eu me declaro em silêncio inquieto
eu me derramo de corpo e peito aberto
eu sinto, eu vibro
Solto aquele sorriso que se contia para o espelho
Lanço o olhar a te procurar no escuro
Dentro de mim encontrei um lugar que é só seu
Me reinvento todos os dias
Para o sol que nasce e a Lua que anoitece
Espero e procuro você nas esquinas
como imagem tênue você esvanesce...
Me lembro de você... em todo o tempo
Quero sentir seu coração
Te observar quieta
um anjo pálido em seu silêncio
Quero ser a cura do mal.



* - *


Isa.


"Não houve nada no mundo
Que eu tenha desejado mais
Do que sentir você no fundo do meu coração"


The Cure - Pictures of You



Contexto...


Quero algo despreendido. O que importa é o agora, este momento... esse ar que estou respirando
Amadureci com meus erros, experiências, mas não quero continuar a conviver como se tudo ainda fosse presente.
Não quero ficar a mercê de todos os erros que cometi
Os acontecimentos marcam, nos trazem algo bom também, mas estão no passado impulsivo que me existiu.
Arrisco-me ao sol que nasce
Todos os dias com um brilho diferente sempre mais intenso.
Lanço-me a descobrir cada vez mais desse ser inconstante que sou
Não quero promessas, quero alguém presente no agora.
E aquele amanhã que não há... será um novo instante em que quero desejar você de novo.
Isa...
***"
Eu escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens..." Rimbaud

quinta-feira, 15 de abril de 2010

"Nesse momento cai... uma forte chuva"...


Olho a chuva tocar o vidro

minha imagem refletida... mas só vejo você.

Não sei o que acontece... deixo-me perder para encontrar.

Deixo-me guiar pelo sentir... pelos sentidos.

O que eu quero está em mim... na pele... no pulsar... nos ossos, vibrando com o ar que respiro.


E quem entende...


-Isa.


"Por pensar de mais... eu resolvi não pensar de mais... Dessa Vez" (Nando Reis)

Diálogo, paredes claras.

Acontece. Fazemos acontecer. Somos bombardeados por instantes, situações, fatos.
Escolhemos, e quando o fazemos de forma impulsiva, as consequências podem não vir a ser as melhores.
Quando temos o que sempre almejamos... nem sempre estamos preparados para vivenciar o que nos é entregue.
O tempo passa, de forma congelante. Novas vivencias, aprendizados, amadurecimento, visão interior, uma nova lente para ver o mundo.
Um novo emergir em meu mundo.
E o que posso pedir a você? Que ja me fez tanto bem... e naquele momento obscuro, só fiz o mal.
Sinto algo acontecendo dentro de mim.
Me pergunto o que você sente agora?
Sinto um arrepio quando penso em você, sinto algo quente arder em meu peito.
"Para tudo há seu tempo", dizem... Percebo que sim.
Será que terei um tempo seu, agora... para mim?
...Será que é tarde?
...Não para mim.

-/- Isa -/-

"Longe de você meu bem..."
(Mais uma Vez_Marisa Monte)... ecoando.

"Eu era algo importante"...


“…e essa falta cresce à cada dia, de forma avassaladora…quando enfim penso que estou me acostumando, que estou te esquecendo, você ressurge de forma inesperada ocupando todos os espaços, transbordando de dentro de mim... e é nessa inconstante loucura que vivo sem te ter.”

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sobre pensamentos...


Eu tenho sonhado com você
É como um desejo que dorme inquieto
Sua pele clara
Seus cabelos cobertos pelo sereno da noite
Seus lábios tão perfeitos em seu vermelho saboroso
Vontade de devorá-los
Tão suave e intrigante
Diz tanto em seu silêncio...
Guarda versos nesses olhos negros
Uma noite apenas
me deixe ter novamente seus lábios
Deixe que eu toque com a minha sede sua pele que brilha
Seus cabelos estão mais longos... assim como a noite
Imagino-os deslizando-os por entre meus dedos.
Não sei o que é certo ou o que é melhor...
Não sei o que pode se definir
Somente sinto minhas pálpebras se recostarem sob o céu estrelado...
visualizando você...
Suave...
Única...
Inalcansável.
Isa.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Eu, e o inverno que se aproxima...



O Céu é tão bonito

Olha o entardecer de um outono perfumado

Dance com as nuvens

Pincele o céu de lilás

áquele tom suave de pálpebras sem adormecer.

Risque as paredes

como os passos marcam o chão

Esse tempo que é meu, ninguém me tira

Livros e palavras

Poemas no banco, a beira-mar

Filmes refletindo o suspirar

O avesso de mim

O não calar.

Isa.

terça-feira, 6 de abril de 2010

Poemas, grãos e o céu da tarde.



O cheiro da pele

O vento

A brisa gelada

No vidro.

Vapor do café

Pó e Sabor.

Nos lábios,

Contexto

Palavras

Poemas

Um iniciar vibrante

Um suspenso reticências

A falar e calar

Como o beijo no sonho...

Sonhando, pensando

Buscando encontrar

O que em mim há...

Sede insaciável de amar.

O amor, ao poema entrego

Para que nele sobreviva... eterno

E ultrapassar o além do pensar

...pensar, por momentos, (des)humano, egoísta

Que só sabe falar

Juras de amor....

Sem amar.

Isa.

domingo, 4 de abril de 2010

"Aonde está você agora, além de aqui...dentro de mim."


O vento me traz você
A noite chega em meus olhos
Torturando as sensações físicas do meu pensar
Devaneios
Sinto sua pele presente
Ardente, quente...
Deslizo no imaginário... sobre as curvas nuas do seu corpo febril
Não sei como ultrapassar... se devo esconder ou permitir
Anseio sentir você, aqui... em mim.
Abro os olhos, na luz ou no escurecer noturno... tenho você.
Isso vai mudar? Isso vai parar?
Nada me importa... o que sinto importa.
O que sinto agora, vibrando em minhas veias...
Me beije pela noite
Tenha meus lábios nos seus
como o veludo das rosas, deixa eu tocar seus lábios com os meus;
Deixe o perfume dos seus cabelos me embriagar;
Deixe seu olhar invadir o meu.
Estilhaço o relógio ao chão, sem tempo para medir, o espaço entre nós já dilacera
O amor vai me dilacerar de novo?
Não tenho medo...
De súbito, amo sentir você.


***

Isa.

O silêncio se faz canção agora.